18.1.12

Eles precisam de um soco na cara.

Dentro de um ônibus qualquer, um sujeito testa a paciência de todos ouvindo funk em seu celular sem fone, obrigando que os demais passageiros também ouçam aquele estilo desagradável de musica.
Os demais passageiros do ônibus são cidadãos de bem, assalariados que trabalham duro, pagam suas contas, têm um gosto musical melhor, mas apesar de estarem bem incomodados com a musica, não falam nada ao funkeiro, ficam todos cochichando e reclamando da atitude do sujeito, os velhos reclamam com um desconhecido qualquer do lado, os jovens não reclamam, ficam quietinhos e guardam para reclamarem nas redes sociais ou na roda de amigos e assim o funkeiro não ouve reclamação nenhuma, pode até saber que está incomodando os demais passageiros, mas não se importa, ele simplesmente ignora os burburinhos do coletivo e segue sua viagem sem ser incomodado, do contrário dos demais passageiros.

Isso acontece diversas vezes no decorrer do dia e reflete bem a postura dos cidadãos para todos os demais assuntos, são todos covardes, mesmo incomodados com algo o máximo que fazem é reclamar para quem está do lado, escrever em suas redes sociais ou fazer algum tipo de piadinha. Se um covarde desses não têm sequer a atitude simples que é pedir para o infeliz desligar o celular do que eles terão coragem? Depois vêm com um papo politizado achando que tira alguém do Senado com hashtag ou abaixo assinado.

Podem fazer o que quiserem com essa província (isso não é país) qualquer manifestação terá o mesmo efeito dos cochichos nos coletivos, falácias demais e atitudes de menos. A verdade é que para que haja alguma reação por parte dessas pessoas, elas devem ser prejudicadas diretamente, ou seja, seria feito algo somente se o mesmo sujeito que ouvia funk fosse atrás de alguma dessas pessoas e a encoxasse descaradamente, ou seja só agem quando estão perto de serem fodidos – as vezes nem isso.
Tem gente que precisa tomar um soco na cara para se meter em alguma briga, xingar e provocar não adianta.

Atenção! Deixe de ser cuzão, tome uma atitude ou pare de se incomodar à toa.

Quanto a mim? Eu sou aquele no fundo do ônibus com meu fone no ouvido sem ouvir nada e sem o mínimo de incômodo, quero que o mundo pegue fogo!

Escrito por CQCM que não vai compartilhar nem curtir sua piadinha de “Doe um fone para um funkeiro”.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

6 comentários:

Van disse...

Nossa ta feio o negocio ai no Brasa heim..ha ha ha ha
Me livrei...desse mal eu nao morro!!!
Sorry for you guys porque funk no busao ninguem merece!!!!

C.Q.C.M. disse...

Verdade a coisa tá feia no Brasa, mas creio que ficou menos feia após sua saída daqui.
Maravilha, estamos exportando o que temos de pior.

Sr. Brandão disse...

Será que é tão dificil de entender que o texto não está falando especificamente do funk no ônibus e sim da postura das pessoas para enfrentar os problemas.

Na próxima coloque figuras pro povo entender, cara.

Jéssica Trabuco disse...

Você falou tudo cara!
Começando de uma simples "não ação" no ônibus, reivindicando um direito de todos... a qualquer outro protesto. Se não consegue lidar com o som no celular dos mal educados, como lidar com a corrupção?
"Use fone de ouvido no Buzu" e seja ativo como cidadão ;)
Adorei aqui, serio! valeu pela visita lá ao #Mpb... e se ligue, eu fiz um post sobre isso uma vez, se quiser dá uma olhada! http://musicpoesiaeblablabla.blogspot.com/b/post-preview?token=Yxn5-jQBAAA.pPxLqHe_OgPEERGjDKr15A.FqTqiarE1hgnLVpejv1BKg&postId=1209750451281330543&type=POST

Fernanda Amylice disse...

Acho que os brasileiros de uma forma geral preferem ir empurrado o problema com a barriga. É assim da política ao funk no ônibus. Um reflexo disso são as redes sociais, como vc mesmo comentou no texto. Lá só tem post's com piadinhas a respeito de tudo. A internet é uma rede poderosa, que permite ampliar fronteiras e divulgar ideias de forma rápida e eficiente. Mas como fala no seu texto, é preferível fazer uma piadinha no facebook sobre os problemas do que realmente os debater-los e resolve-los de uma forma concreta.

Jéssica Simões disse...

Bem, também DETESTO funk, mas daí dizer que os passageiros estavam incomodados pelo gosto musical ruim, é um argumento pífio. Eu ficaria incomodada com QUALQUER estilo musical, simplesmente pela falta de educação e bom senso.
Também concordo que as pessoas são acomodadas, falam muito e pouco fazem, mas você há de concordar comigo que é difícil esboçar reação no mundo de hoje. O indivíduo pode sacar um arma pra você e isso não seria surpresa, só mais um número. Enfim, você escreve muito bem, tem uma boa percepção das coisas ao redor. Você é jornalista, escritor ou alguma coisa parecida?

Seguidores

Total de visualizações